O diário de um gay não gay: sou homossexual

Casamento bacana

In amor entre homens, bissexuais, casamento gay, comportamento, dúvidas, dentro do armário, descoberta sexual, discriminação, escolha sexual, gays, homossexuais, namoro gay, opção sexual, preconceito, primeira vez, psicologia, reciclagem, sexualidade, shelter o filme, sou gay on agosto 13, 2012 at 1:40 am

Esse final de semana fui a um casamento de um grande amigo meu hétero. E o que tem de diferente nisso? Todo mundo vai a casamento hétero…Ou quase todo mundo.

Tem muito gay que se afasta do mundo supostamente “hétero” não existe isso de mundo A, B ou C, existe sim subgrupos ou submundos, isso é o que existe.

Um casamento ou união independente de ser hétero ou gay, é algo importante, unir pessoas em nome do amor é importante. Ainda que eu não gosto dessa palavra casamento gay. Prefiro união estável. Mesmo porque casamento é algo da Igreja, um sacramentos deles.

Então, voltando, fui ao casamento. Vi um dos melhores amigos meus casando, feliz pra caramba e olha que já fui a uma dezena de casamentos, dos mais ricos aos mais simples, e em toda vida, só vi um, esse com uma transmissão de energia e cumplicidade tão grande que cheguei a captar dos noivos.

Durante a cerimônia pensei, eu jamais vou fazer isso. E nem quero, imagina dos homens entrando numa Igreja para se casar, meio estranho, mas bonito é a noiva de véu chegando. Mas dois homens podem se unir oficialmente ou não. O mais importante é a uniuão interna, a oficializada pelo amor.

Durante a festa me peguei pensando, será que um dia posso fazer uma festa para comemorar e compartilhar com meus amigos, talvez a minha união de dez anos, vinte anos, etc? Vontade não faltou. Casamento mesmo eu não queria, mas quem sabe um dia reunir amigos e  celebrar sem exageros e sem exibições a felicidade que vivo com alguém.

Queria aproveitar o post e falar com os gays que se recusam a conviver com o suposto mundo hétero. Eu sei, vão falar, você não convive com o mundo gay. Mas digo, todos nós deveríamos conviver a diversidade lá e cá. Momentos como esses de ver a felicidade de amigos mesmo que de forma tradicional valem a pena, não tem preço ver o amor de duas pessoas, a alegria.

Celebrar o amor, é algo que está acima de qualquer coisa, mesmo que não concordemos com Igrejas, celebrações tradicionais ou com formas de se viver o mundo. O que é triste é você ignorar o amor, a felicidade, só porque você faz parte de um mundo A ou B.

Se queremos ser respeitados e que a diversidade se espalhe, o fundamental é que passemos a conjugar a diversidade dentro de nós.

Continuem lendo outros post clicando aqui

  1. Eu nem penso em tão cedo me casar, vou me importar com minha vida profissional.Tenho que garantir o meu futuro.

    Quem sabe um dia eu encontrarei alquem que me ame de verdade.

  2. É uma das coisas que pretendo fazer .Quero casar com alguém que eu ame,que me der segurança do que estou fazendo e claro, construir uma família.Porém,tenho medo de não ser o que eu imagino e de me decepcionar.Mas,isso é futuro bem distante e muitas águas vão rolar antes disso.
    Abraços.

    • Daniel, não se atormente com o futuro, deixe que ele vem fluindo normalmente.
      abraços

  3. Cara, eu tenho lido o seu blog já faz quase dois meses. Descobri por acaso e fiz questão de ler todos os posts, desde o primeiro, até este último.
    E devo dizer que acho muito legais as suas ideias sobre as coisas. Tipo sua visão sobre o mundo GLS, isso de ser fora do padrão, de abraçar a diversidade e tudo mais.
    Eu também não tenho nada desse padrão de gay que a sociedade tem e o próprio meio gay tem também.

    Sobre o assunto do casamento, eu concordo com você quando fala que casamento é sacramento da Igreja e acho que não há problema nenhum em chamar o tão sonhado “casamento gay” de “união civil entre pessoas do mesmo sexo”, desde que isso traga consigo todos os benefícios civis que um casamento heterossexual traz. Devo admitir que não estou muito por dentro desses assuntos.
    Acho bem legal ter esse direito garantido. Quanto a mim, nem sei se um dia poderei usufruir de tal direito. Se apaixonar é uma coisa muito séria… Estou curando de um amor que tive, que, na verdade, nunca chegou a acontecer. Nem sei se quero ficar assim por outra pessoa…
    Tô pensando em criar um blog meu, falando de muitas histórias e várias coisas bacanas, assim como o seu. Tá de parabéns por este blog, viu? Muito legal mesmo.
    Abraço

    • Fala Luis,

      Bacana sua mensagem!!

      Te incentivo a criar um blog, é bom, você se ajuda e ajuda os demais, contando e aprendendo com as experiencias de ambos.

      Grande abraço amigo!!

  4. Creio que é o que a maioria dos leitores (senão todos) querem. Quem não iria querer celebrar o amor encontrado? Um dia gostaria de realizar isso. Enquanto isso… paixões que vão e voltam…
    Abraço

  5. “Durante a cerimônia pensei, eu jamais vou fazer isso. E nem quero, imagina dos homens entrando numa Igreja para se casar, meio estranho, mas bonito é a noiva de véu chegando. ”

    Mais bonito aqui quer dizer exatamente o quê? Apenas mais um padrão ridículo que muitos levam pra vida como se fosse uma especie de verdade universal. O primeiro texto que li aqui e notei um certo conservadorismo de sua parte, algo beirando um preconceito/vergonha interno de si mesmo. Espero estar enganado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: