O diário de um gay não gay: sou homossexual

Tão igual, mas tão diferente

In amor entre homens, bate papo gay, bissexuais, boate gay, chat gay, comportamento, dúvidas, dentro do armário, descoberta sexual, diferenças, escolha sexual, filme gay, gays, GLBT, homossexuais, opção sexual, paquera, preconceito, primeira vez, psicologia, revista gay, sexo, sexualidade, shelter o filme, sou gay on janeiro 10, 2013 at 3:21 pm

Primeira postagem do ano, estava meio sumido. Mas, espero que vocês tenham tido uma boa passagem de ano com suas famílias, amores, e etc. Comecem seu ano com cabeça erguida, bons ideais em mente, pensamentos positivos, e nada de ficarem se culpando, ok!

Bem, hoje queria falar sobre algo que fiquei pensando numa fila de mercado, na minha frente, uma rapaz, gay, bombado, voz delicada, e eu em seguida, gay, meio tosco rs, masculinizado. E me veio em mente mais uma vez a questão diversidade, somos tantos, e tão diferentes.

Somos diversos, apesar de um grupinho querer padronizar o restante.

O grande barato da minha analise naquela fila é que, eu respeito o cara e o cara certamente deve me respeitar, ele tem seus valores e costumes, suas crenças, apesar de no fim, gostarmos da mesma coisa: homem.

Talvez ele tenha os métodos dele, queria sexo todo dia ou não. Ou seja como eu, que me guardo para o homem que eu gosto, me dedico a ele. Talvez ele fale fino, e eu grosso, mas no fundo temos um Q de delicado, eu choro também. E é claro, sonho com meu conto de fadas.

Eu jogo bola, piso descalço no chão, sou até meio troglodita. Ele, que estava na fila, mais bem cuidado, jamais pisaria no chão descalço.

São pontos de vistas diferentes, somos  gays, somos homossexuais, mas, somos diferentes, e ai que está a graça. Cada um na sua, e que haja respeito ao modo de ser de cada um.

Por hoje é isso, reflitam sobre a diversidade, e sejam felizes da forma que são.

Continuem lendo outros post clicando aqui

  1. Cara! Que texto lindo!
    Sem mais palavras!

  2. Realmente, seus textos são incríveis. Parabéns. Eles são capazes de transformar o dia de muitas pessoas, pode acreditar, pelo menos o meu, já está melhor depois que li. Abraços.

  3. Genial! Já tava com saudades do “Dentro do Armário”. Toda vez que venho aqui vejo mensagens que levantam a minha moral, que me ajudam a construir quem eu sou diante da sociedade e na minha vida íntima também! Muito obrigado pelo texto e que nesse ano tenha muitos outros!

  4. Ola Dono do Blog!
    Bom, estava aqui sem sono mais uma vez e lembrei do seu blog e vim espiar se o sr. tinha escrito algo no qual eu me identificaria outra vez. – Vi que leu e respondeu ao meu comentario noutro post seu -. Falando sobre este post, acho mt bacana o tema em questao, e digo isso pq eu talvez tenha que melhorar no quesito “diversidade gay”, hj mesmo ao chegar em ksa, estava lembrando de como esnobei um boysinho que aparentemente era meio afeminado e que nao tirava os olhos de mim a noite toda. Mas a situação se tornou ironica pois depois d um tempo de olhares (pela parte dele) eu comecei a me interessar, mesmo sabendo que ele nao fazia meu tipo… COISA LOUCA ISSO VISSE!…
    Mas enfim… e a parte deste post que me fez sorrir sem querer foi: “… eu, que me guardo para o homem que eu gosto, me dedico a ele. Talvez ele fale fino, e eu grosso, mas no fundo temos um Q de delicado, eu choro também. E é claro, sonho com meu conto de fadas.” (tambem penso assim)
    Ate mais moço!

  5. Oi Blogger,

    Eu tenho 30 anos e também moro no Rio. Sempre tive desejos por homens, contudo ja vive relacionamentos e ja amei mulheres. Tive algumas ficadas com homens mas ate ano passado nunca tinha passado disso, ate conhecer o meu ex namorado( terminei essa semana). Ninguem sabe sobre mim.. e nem sei se algum dia terei coragem de contar pra alguem. Contudo, esse namoro me vez perceber muita coisa sobre mim e agora vivo angustiado. Até entao achava que poderia viver uma vida hetero, mas vejo que agora, eh cada vez mais dificil. Este processo de aceitação esta sendo muito doloroso. Principalmente pq eu nao tenho pinta nenhuma e era considerado o “pegador” pelos meus amigos. Aceitar essa nova realidade é um peso descomunal. Gostaria de saber o que vcs fazem ou fizeram para lidar com todo esse processo.

    • Legal saber que o sei “timing” chegou, Claudio. Já posso adiantar pra vc que esse processo não é fácil, mas se vc tem uma vida completamente independente, vai um conselho: seja vc mesmo sem medo de ser feliz. Se seus amigos realmente gostam de vc, vão continuar sendo seus amigos, seja vc hétero ou não. O primordial é vc lembrar sempre que trata-se da SUA VIDA e que ninguém deve/pode dizer como vc deve vivê-la! Nem mesmo seus pais/parentes. Vc diz que “ninguém sabe de vc”. Só posso adiantar que nessa situação fica difícil manter uma vida dupla e não ser infeliz. No meu caso, felizmente, minha família me deu total apoio. Estão sempre perguntando como estou de namoro, etc… Não se esqueça que vc é um ser humano com vícios e virtudes, direitos e deveres como qualquer outro e é apenas um homem que gosta de outros homens e não é crime algum fazê-lo. O primeiro passo é vc se aceitar como tal. Isso acontecendo, o resto ficará bem mais fácil. Vc vai ver! Se quiser conversar, estou às ordens…

    • Olá, Claudio. Tenho 36 anoe e sou baiano. Quando li seu comentário foi impossível não me identificar. Como você, também já namorei mulheres e também sempre me senti atraído por homens. Ainda não aceitei direito essa nova condição. Concordo com você quando diz que é um processo doloroso e, ainda posso acrescentar, não é só doloroso é uma tortura diária, o peso que carrego parece aumentar a cada dia. Infelizmente ainda não possote ajudar, pois estou na mesma situação que você.

  6. Comecei a acompanhar seu blog em 2010 quando estava começando a me assumir(Na época tinha 22 anos) e me ajudou muito,muito obrigado pelas palavras e pela força que me deu para passar por toda aquela fase difícil . fiquei um tempo sem dar uma olhada no seu blog,mas devo dizer que a qualidade continua a mesma,ÓTIMA!!Seus posts são sempre tão cotidianos porém você expõe de uma forma muito sutil e poética.Acho muito bonito o jeito que se expressa.Quanto ao tema deste post,acho incrível como existe tantas “variações” do universo gay,mas uma pena pois muitas vezes paramos nestes rótulos bobos de afeminado ou não e acabamos perdendo oportunidades de conhecer pessoas maravilhosas,lógico que temos que levar em consideração aquilo que nos atrai (Não vou ser hipócrita,sou gay com um jeito mais masculino e prefiro o mesmo.) mas as vezes acho mais interessante nos permitir conhecer e quem sabe ter uma agradável surpresa pois como você mesmo disse somos todos gays esperando conhecer um homem bacana para podermos viver um conto de fadas.

  7. Cara, adoro os seus textos e pensamos tão parecido… Queria um conselho seu: estou apaixonado pelo meu gerente. Já percebi que tenho chance. Mas tenho medo de uma reação defensiva dele. Ou que ele fale pra outros, tipo se aproveite de mim. Mas estou com os quatro pneus arreados por ele, adoro vê-lo sorrir, cada ato dele eu admiro, aconselho quando pedido, tenho ciúmes dele. Tenho certeza de que ele não sabe dos meus sentimentos porque nunca dei a entender com palavras, e meu amado é meio lesadinho pra entender intenções, mas ajudo ele até mais do que precisa. Já discuti com ele por motivos bobos, porque na verdade queria que ele me correspondesse. Poderia me aconselhar, ou me dar uma palavra de ânimo?

  8. Ah eu ainda não feliz comigo mesmo….tenho que melhorar em alguns aspectos, mas estou me esforçando para isso, espero chegar logo e aproveitar mais a vida.

    bjos e boa semana.

  9. Detesto ler os seus textos, é horrível a sensação de subir a página, ansioso para continuar lendo os causos e dar de cara com os comentários! Ow, vê se nos brinda com mais textos, temos sentido muito a sua falta! Obrigado.

  10. Me identifiquei muito com esse post, tenho 14 anos e quero me assumir esse ano e quero que entendam isso sou gay e gosto de homem de pinto mas só isso sem todos esses esteriótipos

  11. À Gabriel, desculpe-me mas nao puder deixar de ler seu pedido ao dono do blog. Ja passei por algo parecido. Em meu grupo de trabalho havia um cara em especial, que agia mais ou menos como vc faz com seu gerente. Um belo dia numa festa fora do ambiente coorporativo ele me chamou pra conversar e falamos sobre muita coisa e ele foi criando mais confiança e tal, ate que nessa mesma noite, declarou-se pra mim de uma maneira muito sincera so que nao muito melosa. Eu achei o maximo, mas mesmo assim nao ficamos juntos por que eu so curtia com mulher nessa epoca. Ou seja, eu aconselho voce a ser mais ousado, so que nao no ambiente de trabalho, seja criativo e nao vá com tudo pra cima dele. Seja direto mas nao seja tao “sexual” na hora de abrir o jogo. Espere a reação dele, deixe-o expressar-se sem que vc o pressione, se vc tiver chance assim como diz, essa vai ser uma brecha e tanto pra que vcs se “concretizem”. Boa sorte!

    • Eu sou da teoria de que onde se come o pão não se come a carne. Não misturar trabalho e relacionamento é bem melhor. Lógico que não é impossível de acontecer, mas concordo com o blogger: só se tiver muita certeza das opções do gerente, o Gabriel deveria por as cartas na mesa! Caso contrário, cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém…

    • Obrigado pelo conselho, Saullo. Ajudou muito.

  12. Sou meio parecido c/ vc, só nao me acho tosco, rrsss, tem um corpo e rosto bonito, mas talvez por andar só c/ hetero e viver dentro do armário, meus gostos são muito parecidos c/ de heteros, meus trejeitos, nem gay veterano percebe que eu sou, enfim, talvez uma marca gay que eu tenha seja a criatividade. Eu so curto caras c/ jeito de hetero, voz afeminada me broxa. Um gay me falou uma vez, que talvez por eu ter me condicionado por anos a manter postura de hetero, hj em dia ja faz parte de mim, mas eu só sei que ainda que eu só andasse com gays , meu jeito não mudaria mais. Tem um cara que eu fiquei, que ele tem 4 irmaos homens e heteros, e ele sempre manteve trejeitos de hetero e voz ,bem proxima ao de hetero, mas em compensação os gostos musicais e os assuntos sao totalmente gays. O que eu quiz dizer c/ tdo isso ,foi só p/ complementar a diversidade em que vivemos, e existem muitos gays com jeito de hetero e ainda casado c/ mulher que nem se passa pela nossa cabeça que são.

    • Fala Pedro!! Tudo blz!!
      Concordo com seu comentário.
      Grande abraço!!!! Sucesso brother

  13. O fato é q é dificil ser gay, dificil transpor essa barreira, dificil vivenciar essa sexualidade…..já sofri, me decepcionei e hj com 20 anos estou no zero a zero…..Lendo esse blog sinto-me em uma realidade paralela….o que conheço e conheci por gay até hj é algo tão devasto, insensível….foi bom passar por aki!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: