O diário de um gay não gay: sou homossexual

Não pode-se enganar a si mesmo o tempo todo

In amor entre homens, bissexuais, boate gay, casamento gay, cinema gay, comportamento, dentro do armário, descoberta sexual, Dia dos Namorados, diferenças, escolha sexual, esteriótipos, filme gay, gay, GLBT, GLS, gosto de homens, homens nus, homossexuais, Meninos e Meninas, opção sexual, preconceito, psicologia, reciclagem, revista gay, sexualidade, shelter o filme, sou gay on junho 2, 2013 at 12:16 pm

Não pode-se enganar a si mesmo o tempo todo! Isso mesmo!

Há dois anos atrás um amigo negou que se excitava comigo, na verdade ele confessou que se excitava quando se aproximava da minha pessoa e que havia uma curiosidade sobre o que eu fazia com homem. Ele com certeza tinha mais pensamentos que eu jamais vou conhecer.

Esse amigo relutou e falou “sou hetero” “não sou viado” e “se tiver isso em mim, vou excluir da minha vida”.

O que ele descobriu dois anos depois? A resposta que eu já sabia e a qual já vivi no passado, não se pode negar a sua essência. Não se pode apertar um botão delete e dizer não sou assim.

Não adianta arrumar namorada, ficar encantado por garotas, não adianta namorar para mostrar aos amigos e a família. Pois, na verdade o que você quer é outra coisa, ou até as duas coisas.

Há um ano e meio eu tive um rolo com um cara que me marcou muito, lindo, ardente, me deixava louco. Íamos para cama e eramos os melhores amantes, mas ele negava isso, e ainda falava “eu tenho namorada”. Era o álibi que ele precisava para enganar a todos. Na cabeça dele o fato de ter namorada anulava o que havíamos feito na cama. Era uma espécie de “fiz sexo com um homem, foi um erro, mas eu voltei a ser hétero, ao me abraçar com a minha namorada”. Desculpa que ele usava sempre.

Eu não os julgo e também não posso falar muito porque não sou assumido, só poucos amigos sabem. Mas dai a mentir pra si mesmo já é outra história.

Não adianta negar o que se é!

Se você é homo o bissexual, mesmo que ainda não tenha uma experiência física, uma hora sua essência vai aflorar, o seu eu verdadeiro vai aparecer, e não adianta lutar, arrumar namorada, pegar mulher na frente dos amigos. Você pode até enganar os outros, mas não poderá enganar a si mesmo por muito tempo. Porque a sua essência e natureza vai cobrar um preço muito alto logo em seguida.

Falas como “não quero virar viado”, são como areia ao vento. Quando o vento sopra a areia voa e aparece e a realidade vem a tona.

Ontem uma amigo me contava que era apaixonado por um suposto hétero, o cara negou até a morte que fosse bi ou homo. Há dois dias atrás o cara procurou meu amigo e arrancou as roupas dele e se entregou. Não demorou nem dois anos, e a mentira que o cara tinha criado pra si mesmo caiu por terra, a natureza e a essência dele falou e se manifestou. O que o cara negava veio a tona numa noite se amor. Moral da história o cara está louco por meu amigo, mas meu amigo hoje só quer sexo com ele.

Não podemos julgar essas pessoas, há uma série de fatores que as fazem negar a sua essência: amiguinhos que pressionam, a família, valores religiosos, e o medo da nova realidade. “O que a sociedade e o mundo vão achar?”.

Todo mundo tem medo de arriscar e mudar. Porque no fundo todo mundo, até os gays mesmo, também tem medo da opinião dos outros.

Não se pode negar a felicidade e viver de mentiras. Você pode até não querer se assumir. Eu mesmo não sou assumido. Mas dai a negar pra si mesmo que é bissexual ou homo, é uma agressão a você mesmo.

Por mais que você tente reprimir o desejo de achar o homem bonito a mais… de sentir tesão ao ver um homem.. de negar sua curiosidade. Um dia ela virar a tona com uma força que você nem ao menos conseguirá fugir, nem mesmo escondido atrás de um namoro com uma garota.

Não se destruam! Vão com calma, eu sei que o processo de aceitação do ser diferente é difícil. Porém, mais difícil é pagar a conta da mentira. E ela é cara!

Continuem lendo outros post clicando aqui

  1. No início da minha adolescência eu me condenava quando não conseguia me excitar ao ver uma revista pornográfica dos meus primos, fingia que algo acontecia, mas era puro teatro. Com o passar dos tempos fui aprendendo a me aceitar, a enxergar que eu não era uma aberração e que mesmo com a pressão da família, dos meus tios, tias e da minha avó perguntando se eu já tinha uma namorada, vendo todos meus primos já com seus rolinhos e eu sempre sozinho, entendi que eu não precisava ser igual a eles, e de fato não sou. Com certeza a maioria deles, com seus 16, 19, 20 e poucos anos, já não é mais virgem e eu que estou nessa faixa de idade ainda não tive nenhuma relação sexual, nem mesmo nenhuma experiência homo. Talvez eu seja uma pessoa muito tímida, ou mesmo lenta. A verdade é que isso não é essencial para mim, mas creio que mesmo me aceitando não consigo viver plenamente da forma que sou. Tem um resquício da pressão da sociedade que eu não consigo fazer com que vá embora. Sim, eu me importo com a opinião dos meus pais sobre minha sexualidade, mas só com a deles, o resto que se dane! Eles viveram em outra época, foram criados de uma forma completamente diferente, sem acesso a informação que hoje é entregue de bandeja aos jovens. Eles podem não conseguir entender o filho deles e eu me preocupo com isso. Não quero ver meus pais tristes, mesmo que essa tristeza seja, vamos dizer, “sem fundamento”. Eu sou o filho deles e sempre serei, mas suas mentes foram “programadas” a não aceitar e espero que quando meu pai souber (eu já conversei com a minha mãe, mas é como se entrasse por um ouvido e saísse pelo outro, como se fosse uma válvula de escape por meio da qual ela vê alguma “esperança” de que eu me “torne” hétero) ele não se sinta traído ou algo do tipo. As “pistas” estão aí, é só ele querer entendê-las. Eu entendo completamente o dono do blog ao não querer mostrar completamente para o mundo quem ele é, pois eu vivo isso a cada dia. Me desculpe se o comentário foi longo, mas creio que essa seja a premissa do blog, falar de nossas experiências. Ia comentar outra grande questão que é gostar de um hétero (tbm vivo isso!), mas melhor deixar pra outra hora. Adoro o blog! Fico sempre ansioso esperando novos posts!

    • Muito bacana você compartilhar sua vida conosco! Vamos somando e nos fortificando.
      Toda felicidade do mundo a vocês!

  2. É isso ai. Se a maioria dos gays soubessem interpretar seus reais sentimentos mais cedo e pelo menos em suas vidas particulares (para si mesmos) deixariam de ter medo ou vergonha e não sofreriam tanto. Eu imagino o que os tais enrustidos sentem. Uma vontade gigantesca de “arrancar a pele de seus corpos” e retirar de seu interior “aquele núcleo que emana tal sensação de vontade de beijar, transar e até amar outros homens”. Espero que com a modernidade e o preconceito diminuindo ao longo dos anos, eles passem a se gostar como são e encarar com naturalidade sua sexualidade, pois se conformar com a impossibilidade de mudança indica que ainda desejariam mudar a si mesmos e isso não é bacana. Como você disse, você ainda está no armário, mas é tranquilo com o fato de ser homo. Isso já faz toda a diferença.
    A energia emocional e até física que se gasta tentando se negar e se esconder, sair de foco e se oprimir diante dos outros é mesmo uma droga. Acaba com a gente, gera ansiedade e até depressão. Por isso que aos poucos estou num processo de fazer o que me faz bem independente dos outros gostarem ou não. Assim me sinto mais fortalecido e pronto para encarar adversidades pelo caminho.

    Abraços amigo.

  3. Tomara que daqui a alguns anos, o filho chegar e assumir a homosexualidadepara os pais não seja mais aquela tormenta que muitos passam.

  4. Tomara que daqui a alguns anos, o filho chegar e assumir a homosexualidade para os pais não seja mais aquela tormenta que muitos passam.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: