Carícias gays em público

Após umas semanas sem postar, estou eu aqui de volta.

Bem, um dia desses estava no metrô do Rio distraído mais no fundo do vagão, este não estava tão cheio, mas tinha senhoras e crianças. Foi quando vi uma movimentação meio estranha, quando olhei discretamente, eram duas garotas, se beijando, não digo beijando, mas exagerando, elas pegavam no seio uma da outra, se atracavam, e se lambiam.

Olha não tenho nada contra a demonstração de carinho em público tanto gay, quanto hétero.

Só acho exagerado gente que acha que liberdade gay, dá direito a quase fazer sexo em público.

 Já falei aqui, que presenciei cais héteros se agarrando dentro de ônibus, metendo a língua na orelha na frente de senhora de 80 anos, e achei isso exagerado. Acho que o desconfiometro vale tanto para héteros, quanto para gays. Quer fazer sexo, ou algo mais explicito, o faça entre quatro paredes.

Agora ficar apertando seio, e fazendo gestos exagerados em público e justificar isso como liberdade de direitos já é sacanagem.

Há tantas formas bacanas de demonstrar amor, e com o olhar. Eu acredito uma coisa, tem gente que tende a querer mostrar ao mundo que está bem, que estão calientes de amor, mas na verdade, se vocês estão bem e felizes, não precisa-se demonstrar o sentimento como um show ou produto de prateleira. Isso só demonstra insegurança. Nada contra abraçar, beijar, trocar um afago no cabelo. Mas dai, a se chupar, apertar seio, ficar excitado no meio de um vagão ou sei ló onde, e pior, em frente a crianças de 5 anos.

Isso já é falta de respeito.

Bem é isso.

Continuem lendo outros post clicando aqui

Sinceramente somos maiores do que qualquer Parada

Hoje não vou comentar sobre Parada Gay, mesmo porque nós homossexuais e lésbicas somos muito maiores que qualquer festa de rua. Somos milhões e em silêncio construímos um mundo cada vez melhor sem precisar de holofotes de avenida.

Sem tirar o mérito de quem curte.

Falta olhar com um olhar mais sincero e real para os milhões de gay e/ou homo que estão espalhados nos rincões deste país, precisando de diálogo e não de festa em avenida.

Boa semana a todos, juízes rapazes e moças! Estudem, sejam vocês mesmo, não sejam o que grupos A, B ou C queiram que vocês sejam. Sejam humanos e cheios de emoção. Não tenham medo de amar, de ferir, cair, e se levantar. Sigam em frente! Ah! Pratiquem esporte, ao ar livre tá. rs

Música para vocês tocarem a semana. Fechem os olhos e imaginem aquela praia, montanha, campo e o lugar que mais está no seu sonho aí dentro do coração.

Mensagem ao gays e não gays. Ou melhor ao ser humano!

Passando aqui bem rápido para compartilhar o texto do leitor Alexandre Alonso. Ele merece ser lido, lido muitas vezes, e compartilhado. O façam. É de uma singularidade e grandeza sem igual.

“Queria deixar uma coisa bem clara:

Não existem boiolas, baitolas, viados, aberrações de deus, fanchas, sapatonas… não existem! Sabe o que existem? Existem seus colegas de trabalho, seus vizinhos, seus colegas e amigos de faculdade ou de escola, ou até mesmo de curso. Existem seus professores e alunos, diretores, monitores, secretários. Existem seus irmãos, primos, cunhados, tios, sobrinhos, filhos e até mesmo pais e mães. Existe o seu porteiro e o seu advogado, o seu contador, o seu motorista, o cara que te atendeu hoje na loja, o seu cabeleireiro, o seu atleta favorito, o seu ídolo do cinema, o líder da banda que você mais gosta. Existe o seu melhor amigo do primário e aquele garoto calado da escola que se matou no 2º ano, lembra? Quais nomes que costumavam chamar ele mesmo? Lembra disso também?

Toda vez que você fala “coisa de viado”, toda vez que você fala que fulano “dá a bunda”, toda vez que você zoa o seu amiguinho chamando ele de “boiola” são essas pessoas que você está atingindo. Não são entidades etéreas, existentes num plano independente do seu. Tampouco são seres emocionalmente invulneráveis. Quando você faz isso, ou usa essas expressões ou ri da “piada” daquele comediante “engraçado” da internet, você está jogando uma pedra em alguém que você ama e que vai sofrer às suas custas sem que você saiba. A sua “brincadeira”, as suas palavras e as suas risadas vão cortar essa pessoa que você ama como facas afiadas e você sabe o que essa pessoa vai fazer com você? Heim? Nada. Porque ela te ama e você, teoricamente a ama de volta. Ela então vai sofrer em silêncio enquanto você ri. Mas algumas dessas pessoas não ficam em silêncio pra sempre.

Será que você já se imaginou numa situação de humilhação? Será que você já se imaginou andando com quem você gosta na rua e sendo moral e emocionalmente reprimido por demonstrar afeto? Será que você tem noção do que eu estou falando? Se não tem, eu tenho certeza que pelo menos pensar um pouco sobre isso você consegue. E lembre-se, quando você chegar à conclusão de que tudo que eu disse é babaquice e que as suas convicções e as suas crenças são maiores que tudo isso, que aquelas pessoas que eu enumerei ali em cima continuam sendo aquelas pessoas. Elas vão continuar à sua volta e vão continuar sofrendo enquanto você ri, debocha, ora e diz que as ama.”

Utopia homossexual ou cegueira?

Bem vou começar este post com a seguinte frase que uma amiga sempre me diz:

“Nao dá para viver em guetos, nos temos um lar comum, a terra, vamos ter que nos esbarrar sempre. Essa gente vive na ilha da fantasia.”

Bem, estes dias ouvi na rua de um outro homossexual que não sabe que sou homo, que o relacionamento homossexual é mais perfeito do que o de um casal hétero, ele falava com palavras chulas, que vou trocar é claro na citação de frases:

“Os homens para serem felizes num casamento hétero são obrigados a conviver com aquelas vaginas.” …

“Como se pode conviver com uma mulher numa relação?”

“Nós homo, é que vivemos bem, somos lindos, perfeitos, curtimos a verdadeira beleza, não temos obrigação de ficar com aquelas vaginas…”

Gente eu ouvi tanta coisa que tenho até vergonha de por aqui, acho que ele deve viver com certeza num outro mundo. Primeiro, não devemos ter nojo das mulheres, e nem tê-las como rivais. Isso é pura burrice, afinal de onde todos nós nascemos? De um útero sagrado de uma mulher que nos gerou!

Dois, isso aqui não é disputa de “esse homem é meu, larga ele mulher…” Todos nós temos direito de ser felizes. Ok?! Então há espaço para homem hétero, homens homo, mulheres, e etc. Casais homo e casais héteros.

O papo do cara na rua foi de uma discriminação total. Imagina só, ele se esqueceu que no meio gay, tem as Lésbicas, e então eu vós pergunto. Elas não tem direito de ser felizes, a relação delas não pode ser perfeita também? Porque dois pênis podem ser perfeito e duas vaginas não?

Olha, to cansado desse papinho de homo, de que somos uma raça, que somos perfeitos. Fica parecendo aquelas novelas de tv, que todo mundo mora no bairro perfeito, é rico, vive na badalação. Não vou citar o bairro, é até ao lado do meu, mas lá também tem infelicidades e mazelas. As vejo isso todo dia.

Temos que nos conscientizar que estamos na mesma aldeia, a Terra, e nela a milhares de seres. E Deus na sua sabedoria nos fez diferentes um dos outros. Esse é o grande barato da vida. Ser diferente. Ai vem um grupo de gay, que falam tanto de diversidade e reclamam isso da sociedade e nem com um papinho infeliz como o citado lá em cima. Eu sei todo mundo tem direito a ter sua opinião. Mas olha, não adianta pedir Diversidade, se o preconceito é venenoso dentro do nosso meio. E invadi pessoas do nosso meio as excluindo também.

Olha graças a Deus não pertenço a essa coisinha de mundinho perfeito, sou cheio de defeitos de personalidade e até físico, e nem por isso sou infeliz. Perfeito meus amigos, aqui na Terra só teve Jesus, então vamos parar dessa que somos a raça perfeita. Ao se proclamarem assim, já o mostram que não são. Atrás da perfeição tem uma criatura triste que escondida, que se mascara nessa coisa hipócrita, porque teme o que nos espera a velhice. Lá se tornam seres mais intolerantes e sozinhos.

Vamos ser felizes com nossas imperfeições, com as diferenças, convivendo em paz, gays e héteros, aceitando que em nosso meio há diversidade também, respeitando as meninas héteros e gays.

É mais ou menos isso que penso. Não sou o dono da verdade. Mas acredito que Diversidade e Respeito devem começar dentro do meio para depois ser exigido pelos demais grupos sociais com os quais convivemos.

Não pretendo ter um relacionamento onde o pênis e o dinheiro sejam mais importante que o ser humano.

Continuem lendo outros post clicando aqui

Mãe: “homem que beija homem é viado”

Essa frase que ilustra o texto eu ouvi de uma colega de trabalho que conversava com a mãe. Parece que a mãe viu o irmão se beijando com um rapaz, até então ele era considerado hétero. A mãe acredita que o filho esta numa fase Emo, que acha bacana beijar garotas e rapazes. Mas a irmã estava desesperada, bolada, como dizem os cariocas. Pois ela acha que se o irmão for “viado” ele vai queimar a imagem da mãe e dela.

Sinceramente fiquei chocado e chateado por ouvir isso.

Penso, então o rapaz não pode ser feliz do modo que ele queira, ele tem que é viver pela mãe e irmã?

As pessoas acham que as outras são propriedade, e pior, uma pessoa que mora numa cidade grande como o Rio de Janeiro pensar dessa forma é bizarro.

Se a moça visse que em muitos países os homens se cumprimentam com um beijo e não tem nada haver com homossexualismo o que ela diria?

Eu até fiquei com vontade de dizer pra ela, olha eu sou viado, só para chocar, mas deixei pra lá. Ela passou a tarde falando do caso, que não acreditava que o irmão tinha virado viado.

Virado ninguém vira, mesmo porque ninguém é vampiro ou outro ser que se transforma. Apenas descobrimos mais cedo ou mais tarde o que somos de fato.

Triste esse rapaz que se for homossexual mesmo, terá que ficar com a irmã infernizando a vida.

E assim, casos como esses acontecem dia a pois dia, Brasil a fora. O que mostra que apesar de se falar tanto em liberdade sexual, homossexualismo, diversidade, as coisas entram pelo ouvido e saem pelo outro sem surtir efeito. E parte dessa culpa vem do nosso meio, dos tais ativistas, que tem um discurso míope e não esclarecedor.

O Brasil ainda é um país preconceituoso e ainda cheio de dogmas.

Continuem lendo outros post clicando aqui

Classe LGBT, como assim Jean Wyllys?

Estou numa fase bacana da minha vida, mas hoje vou dar uma de rabugento rs. Eu abro o jornal O Globo e leu um trecho em que o deputado federal e ativista gay Jean Wyllys diz essa frase que considero infeliz.

“O deputado afirma que a classe LGBT está decepcionada com tamanha indiferença” (Fonte O Globo).

CLASSE LGBT, não sabia que agora eramos uma classe. Quem nos sindicalizou Jean? Fala sério.

Essas atitudes só acabam por trazer mais dor, mais preconceito, mais divisão, e jogam água fria no que poderia ser uma onda de diversidade social.

O problema desses ativista gays, é que são míopes, me desculpe Jean, mas assim que os vejo, pregam diversidade, mas não enxergam diversidade do grupo social gay / homo que faz parte da sociedade.

Agora somos uma classe… daqui uns dias vamos ser sindicalizados não é?

Isso aqui não é gado para ser controlado ok Jean e outras pessoas da sociedade que pensam assim! Somos seres humanos e não gado ok. Não temos lideres, somos livres ok.

Não quero fazer parte desta tal “classe”! Sou homossexual, mas não sou gado.

Continuem lendo outros post clicando aqui

Que o dia dos namorados seja na verdade todo dia

Eu quase não ia escrever este post hoje, mas estou aqui para falar com vocês. Eu como canceriano, prezo datas, tenho a maior vontade de viver esta data, mas ontem uma grande amiga me disse algo importante, que o meu dia dos namorados será quando eu tiver o dia com meu amor, e que esse será o dia dos dias.

E isso é verdade, e junto com esse pensamento eu digo, que o dia dos namorados deve ser todo dia, este deve ser a cada momento, a cada reinventar a relação, a cada sorriso, a cada anoitecer e amanhecer. O namoro é uma arte, é a arte de não cair na mesmice, se reinventar, se renovar, fazer votos diários para que cada parte sobreviva a uma jornada.

É cair e se levantar, acolher, sorri, dar a mão, se incentivar, falar, se calar, compreender, analisar, se presentear, semear, florescer, e um dia se ir pela vontade da vida.

Desejo a todos um ótimo dia, a quem não tem um namorado não desanimem, se amem, em breve o amor virar a té vocês. E nunca deixem de acreditar, o amor existe, e ele vai chegar até você, pode demorar, mas ele virar, todo mundo merece ser feliz nesta jornada.

FELIZ É AQUELE QUE MESMO SÓ, SABE AMAR.

Se amem!

Continuem lendo outros post clicando aqui

Como será meu futuro?

Essa pergunta está nas nossas mentes, e tenho visto nos comentários de muitos de nossos leitores.

Muitos de nós quer ter uma família, mas não aos moldes tradicionais, nem aos moldes que vemos em filmes gays como a “Gaiola das Loucas”, etc. Queremos ter um companheiro, ou até mesmo uma relação formal, seja ela vivendo no mesmo teto, ou até podendo compartilhar casas.

O ter filhos é outro sonho. Eu mesmo quero adotar ou talvez quem sabe uma inseminação artificial. Mais provável é que seja(m) adotivos, isso vai depender do meu parceiro nessa história. Se eu não tiver esse companheiro, o certo é que terei filhos dessa forma.

Importante quando se imagina um futuro. Não é perguntar. Vai dar certo ou não!? É esta consciente e ter em mente uma coisa importantissima. Ter valores, crenças, ser flexível.  Sobre a flexibilidade, é também essencial, pois uma hora você vai ter que atrasar ou ceder uma coisa ou outra.

Essa parte dedico aos mais novos, adolescentes. Não se precipitem, não fiquem encucados, não fiquem desesperados ou pensando muito, como  será que vai ser. Certamente todos nós queremos saber como serão as coisas. Vocês devem ter calma, tranquilidade para que tudo flua com facilidade. Nem sempre a vida vai ser um mar de rosas, ou um céu de brigadeiro. Mas vocês tem que ter em mente que tem a grande mágica da vida, tem inteligência, que podem contornar as coisas. Que as vezes uma porta se fecha, mas uma outra se abre.

Outra coisa, é mais importante que você se aceitem do que sejam aceitos. O ser aceitos pela família e demais, eu sei que é uma busca. Mas nada adianta ser aceito, se você não se aceitar.

Bem, é isso por hoje.

Tranquilidade ai! Felicidade a todos. Façam um esporte, façam arte. Cultura e esporte são dois bons caminhos para aliviar as dores e ansiedades.

Continuem lendo outros post clicando aqui

Um homo na novela de uma forma diferente

Vou começar esse post antecipando o que muita gente está falando, que o dos personagens, o Roni, da novela Avenida Brasil, aquele rapaz que joga futebol, vai se assumir gay/ homo. Estava na hora de isso acontecer numa novela. Pois normalmente só vemos personagens gays baseados somente em esteriótipos. Não que isso seja ruim, mas temos que mostrar a realidade, e a realidade é que tem milhares de gays que não tem perfil que se encaixe no chamado mundo gay ou personagem gay.

Bem, o post é curto e encerro ele como o comentário do nosso leitor Leo, que tem algumas coisas interessantes.

Olha só …
Se o Cabeça me permitir, Daniel, digo a você que essa estória de “aparência de ser homossexual” não tem muito fundamento e ta meio fora de moda.
Não há como se saber como a pessoa vive (o que quer e o que pensa) apenas pelas aparências. Tem caras, muitos mesmo, que nada tem de aparência gay.
Aliás, como diz o ditado “as aparências enganam”.
Conheço muitos caras que não tem a menor identificação com o chamado “mundo gay” – absolutamente nada – e, no entanto, gostam de homens, ficam com homens, vivem com homens…
O que interessa é o que a pessoa quer pra si mesmo.

Voltando aqui ao post, acredito que deva ter gay afemando, não afemando, branco, negro, amarelo, pobre, rico. As novelas tem que mostrar a realidade e não ficar somente em personagens gays esteriotipados e ricos. Vamos buscar mostrar o dia-a-dia e pessoas de verdade.

Continuem lendo outros post clicando aqui

Mais preocupados com beijo e casamento gay do que se a pessoa está feliz

Esse título imenso, é o que tenho hoje para abordar. Ontem peguei um baita engarrafamento do Centro do Rio a Zona Sul e perto da Lagoa, estava pensando nisso, como uma parte dos gays, e principalmente ativistas estão mais preocupados em debater se pode ou não beijo gay na tv, se deve ou não se casar. Mas esquecem temas mais importante, como se as pessoas estão felizes, ou não, como poder abordar temas que ajudem as pessoas a se relacionarem melhor.

Na verdade eles querem é que haja um beijo, mas a pergunta, será que quem beijou, o fez de verdade ou só para dizer que fez. Do que adianta dizer “eu tenho um namorado” …A pergunta é você ama de fato ele, tem cumplicidade, amizade acima de tudo, ou que tê-lo somente como uma vitrine, aquele que você vai beijar em público ou numa boate, para os outros falarem…”olha fulano lá namorando um cara lindo” ou “olha que sorte ele não está só”.

O mais importante do que dar respostas sociais, ou que as pessoas querem ou não que façamos, é ser feliz, ser honesto com seu parceiro, tentar ser o mais legal consigo e com a pessoa que está ao seu lado.

Hoje vivemos na sociedade do descartável, da sociedade do produto que tem que ser exposto na vitrine, e isso se reflete no meio gay, ter o cara fodão para mostrar. Exigir o tal beijo gay na tv, que na verdade deveria ser natural e não algo superficial.

O mais importante é que sejamos homo humanos, e não coisinhas manipuladas pela midia e por um grupo de pessoas que se dizem porta voz de a, b ou c.

Um dia desses estava vendo uma debate, gays x pastor tal. Na verdade os dois lados estão errados, estão cercados de ódio, dogmas bobos, e se esquecem do principal respeito e amor ao próximo. Eu não vejo diferença nenhuma entre gay “lideres” e pastores, na verdade todos estão ali tentando passar uma verdade que não há, e se esquecem do principal, do ser humano, de que este é único, de que deve buscar a felicidade só se constroi com amizade, amor e respeito.

Continuem lendo outros post clicando aqui